SAUDADE

 

Foi a palavra mais votada pelos portugueses, como a palavra mais sentida nos idos anos de 2020, de má – péssima – memória.

É dito, por alguns linguistas, que a nossa palavra não tem tradução conhecida em qualquer outro idioma ou língua falados no mundo.

Se é, ou não verdade, não sabemos. Não temos estudos para isso!

Sabemos é o que é ter SAUDADE/S…

E várias SAUDADE/S…

E várias formas de ter SAUDADE/S…

Oh se sabemos: temos saudades dos que nos deixaram e que já não podemos abraçar; temos saudades de, aos ainda presentes, também dar um Abraço, um Beijo.

Temos saudades daqueles políticos que não nos mentiam [tão despudoradamente] como os atuais.

Para só falar dos mais recentes:

– Mentiu-nos um Presidente da República quando disse aos portugueses, aos que o elegeram e aos outros, que podiam confiar no Banco Espírito Santo. Viu-se e vemos como estamos a pagar para um poço, não de Boliqueime mas sem fundo, à vista;

– Mentiu-nos um Ministro da Saúde, quando aqui veio, a ‘nossa casa’, dezer-nos que a Freguesia Parque das Nações iria ter o 1º dos 17 novos Centros de Saúde de Lisboa; já lá vão 3 e o nosso nem iniciado está:

– Mentiu-nos um Ministro da Administração Interna quando disse que as máscaras para os operacionais de combate a incêndios era à prova de fogo e, afinal, também ardem;

– Mentiu-nos uma Ministra da Justiça quando disse que não conhecia o teor do expediente para combate à corrupção e à fraude que seguiu para a Europa, enganando-a, na altura mais inoportuna em que Portugal tem a presidência da UE;

– Mentiu-nos um Primeiro Ministro, quando disse que o Novo Banco não iria ter custos para os contribuintes. Vê-se o milhões que têm saído dos nossos impostos;

– Mentiu-nos este Presidente da República quando, há um mês, disse que Camarate foi atentado quando, como Professor de Direito e como Mais Alto Estrado da Nação, ousou afrontar os tribunais, nacionais  europeus que disseram o seu contrário; tal como já tinha enganado as vítimas dos incêndios de 2017, ‘prometendo-lhes’ que, no Natal daquele ano, iriam ter a sua casas.

É do contrário disto tudo que temos SAUDADE/S.

Oh se temos!

Tenhamos um melhor 2021!

 

Agnóstica.

JAN21